As notas falsas retiradas de circulação em Portugal aumentaram 43% nos primeiros seis meses deste ano, face ao semestre anterior, e quase metade das notas de euro contrafeitas eram de 50 euros, segundo o Banco de Portugal

Ao todo foram retiradas de circulação 6.190 notas no primeiro semestre, mais 43 por cento que no semestre anterior.

O número de contrafações apreendidas tinha diminuído no segundo semestre do ano passado, mas os valores dos períodos anteriores a esse semestre foram retomados agora nos primeiros seis meses deste ano, segundo o supervisor financeiro.

Apesar de a quantidade de notas apreendidas este ano ter aumentado 43 por cento em relação ao semestre anterior, decresceu 12 por cento face ao primeiro semestre de 2012.

O Banco de Portugal salienta ainda que as notas apreendidas em Portugal constituíram apenas dois por cento da totalidade de notas de euro contrafeitas que foram apreendidas no Eurosistema nos primeiros seis meses deste ano.

Segundo o Banco Central Europeu (BCE), entre janeiro e junho deste ano, foi retirado de circulação um total de 317.000 notas de euro contrafeitas, mais 26,3% que no período homólogo de 2012 e mais 13,2% que no segundo semestre de 2012.

As notas de 20 e 50 euros voltaram a ser as mais contrafeitas, mas no semestre passado registou-se uma diminuição nas contrafações de notas de 20 euros e um ligeiro aumento nas notas de 50.

Em conjunto, as notas de 20 e 50 euros representaram 82,1% do total de contrafações apreendidas no primeiro semestre de 2013.

A quantidade de contrafações da nota de €100, a terceira denominação mais contrafeita, representou 12,4% do total e a de outras denominações (5, 10, 200 e 500 euros) manteve-se muito reduzida.

O BCE informa ainda que a maioria (98,5%) das notas contrafeitas retiradas de circulação no primeiro semestre de 2013 foi detetada em países da área do euro, tendo apenas cerca de 1,2% sido apreendidas em Estados-Membros da União Europeia não pertencentes à área do euro e 0,3% em outras partes do mundo.

«Embora se tenha verificado um aumento da quantidade de contrafações detetadas no primeiro semestre de 2013, o volume de notas contrafeitas retiradas de circulação em 2012 foi particularmente baixo e os dados mais recentes são comparáveis com os níveis observados em anos anteriores», explica o BCE.

A instituição ressalva que o risco de receber uma nota contrafeita é muito baixo, mas que deve estar atento à possibilidade de fraude, em especial no caso das notas de 20, 50 e 100 euros.