Hoje é que é. Os ministros das Finanças da União Europeia devem dar luz verde ao procedimento por défices excessivos a Portugal e Espanha, recomendado pela Comissão.

À entrada da reunião, o presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, disse que "os governos de Portugal e Espanha têm que enviar uma carta à Comissão", esse será o próximo passo, "a reagirem à ameaça de sanções".

Uma carta com argumentos "ofensivos e não destrutivos", acrescenta Dijsselbloem. Ou seja, uma carta construtiva e não destrutiva, "no sentido que eles precisam de definir quais serão os próximos passos para resolverem as suas questões orçamentais", disse o líder do Eurogrupo. 

"Se houver uma boa abordagem do tema, com toda a certeza, ajudará quando conversarmos e a Comissão decidir sobre as sanções", concluiu.