O presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, afirmou esta quinta-feira, em Bruxelas, que o Governo grego aceitou a participação do Fundo Monetário Internacional no novo plano de ajuda.

À entrada da reunião do Eurogrupo, que junta os 19 ministros das Finanças da zona euro, Dijsselbloem informou que o ministro Euclide Tsakalotos "confirmou que o Governo grego aceitou que o FMI faça parte do processo".

Para participar no resgate no valor de 66 mil milhões de euros, o FMI exige que Atenas faça uma reforma das pensões e que a zona euro aceite a renegociação da dívida grega.

Inicialmente, Atenas tinha declarado não ser necessária a participação do FMI no processo da terceira intervenção na Grécia.