O Estado gastou 2.725,8 milhões de euros com subsídios de desemprego e de apoio ao emprego em 2013, mais 5,1% do que no ano anterior, segundo os números hoje divulgados.

De acordo com a síntese da execução orçamental de 2013, hoje publicada pela Direção-Geral do Orçamento (DGO), as prestações sociais registaram um aumento homólogo de 4,1% em 2013, num total de 21.961,2 milhões de euros.

Dentro desta rubrica, a prestação que mais pesa é a das pensões, que aumentaram 6% em 2013, para os 15.295,9 milhões de euros.

No entanto, houve também prestações sociais cujas despesas caíram, destacando-se o Rendimento Social de Inserção (-18,8%) e o Complemento Solidário para Idosos (-2%).

Segundo divulgou o Eurostat a 08 de janeiro, a taxa de desemprego em Portugal caiu para os 15,5% em novembro de 2013, pelo nono mês consecutivo.