A coordenadora da Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública, Ana Avoila, acusou esta quinta-feira o Governo de desrespeitar os sindicatos e os trabalhadores ao aprovar diplomas com conteúdo diferente do que foi apresentado à mesa de negociação.

A sindicalista criticou, em declarações à agência Lusa, que o Conselho de Ministros tenha aprovado uma proposta de lei sobre as reduções salariais para entrar em vigor no dia seguinte ao da sua publicação, quando a proposta discutida com as estruturas sindicais da função pública previa a entrada em vigor no mês seguinte à publicação da nova lei.

«É um escândalo, uma falta de respeito pelos sindicatos e pelos trabalhadores. O Governo já não respeita ninguém, nem olha a meios para sacar dinheiro aos trabalhadores», disse.

Ana Avoila acusou o Governo de promover «uma farsa negocial, porque o que foi hoje aprovado é diferente do que foi apresentado aos sindicatos».

A sindicalista prometeu que a Frente Comum tudo fará para «denunciar a falta de seriedade do Governo» e apelou à participação na manifestação nacional que a CGTP convocou para dia 10 contra as políticas do Governo e pela antecipação de eleições legislativas.

A proposta de lei hoje aprovada pelo Governo altera a data da entrada em vigor dos cortes salariais, face ao diploma aprovado pelo Governo no passado dia 12 de junho, que produzia efeitos no mês seguinte ao da sua publicação.

O Governo pretende reintroduzir temporariamente os cortes entre 3,5% e 10% aplicados aos salários do setor público superiores a 1.500 euros, introduzidos em 2011 e que vigoraram até 2013.