Cerca de 17% das pequenas e médias empresas (PME) portuguesas recorreram ao despedimento de colaboradores para contornar as dificuldades financeiras no último ano, menos 3% do que em 2013, segundo um estudo divulgado pela Zurich.

O estudo foi realizado através de um questionário junto de administradores executivos, diretores gerais e financeiros e chefes de operações de PME de 19 países.

«Face ao mesmo questionário aplicado no verão de 2013, verifica-se ainda assim um ligeiro decréscimo (3%) nas empresas que recorreram à opção de emagrecer a estrutura», refere o comunicado da Zurich.

No último ano, 8% das PME a operar em Portugal consideraram mesmo a hipótese de fechar portas.

«A aposta em novos nichos de mercado (22%) e a redução de preços (20%) mantêm-se como as principais estratégias de sobrevivência adotadas pelas PME nacionais inquiridas, logo seguidas pela aposta na diversificação da oferta de produtos ou serviços (18%)», conclui o estudo.

O aumento de ordenados foi uma realidade em 8% das PME questionadas e o recrutamento de novos colaboradores concretizou-se em 12% das empresas: ambos os critérios cresceram 2% face ao ano anterior.