A Cisco Systems vai dispensar mais de 14.000 funcionários, o que representa cerca de 20% da sua força de trabalho a nível global, avança o site CRN, que cita várias fontes próximas da gigante tecnológica.

Os cortes deverão ser anunciado publicamente dentro das próximas semanas, e englobam também reformas antecipadas já propostas aos trabalhadores, segundo as mesmas fontes. 

O plano vai variar entre 9.000 e 14.000 dispensas em todo o mundo e resultam da transição que a empresa efetuou das suas raízes de hardwarw para software. Essa aposta leva a esta reestruturação, que a Cisco não quis entretanto comentar. 

A empresa tinha em abril, segundo a Bloomberg, cerca de 73.100 funcionários no total. Há dois anos, já tinha anunciado cortes de 6.000 empregos, em 2013 cerca de 4.000 e um ano antes 1.300 postos de trabalho. Uma das maiores reestruturações de pessoal até agora tinha sido a de julho de 2011, quando a empresa dispensou 6.500 pessoas.

No último verão de 2015 nada aconteceu, mas agora chega esta notícia, precisamente um dia antes de a companhia apresentar resultados trimestrais.

Na bolsa, as ações da Cisco ganharam mais de 15%nos últimos três meses e atingiram mesmo o valor mais alto dos últimos nove anos esta semana, com cada título a valer 31,23 dólares. 

Também recentemente, no final de julho, outra gigante tecnológica, a Microsoft, anunciou o corte de quase 5.000 empregos na área móvel.