A Cisco Systems, maior fabricante de tecnologia de redes informáticas do mundo, vai cortar 4 mil postos de trabalho, cerca de 5% da sua força laboral, devido à incerteza do ambiente económico global.

A recuperação depois da crise «é mais contraditória e inconsistente do que outras que vi», afirmou o presidente e conselheiro delegado da empresa, John Chambres, em conferência telefónica para análise de resultados financeiros, citado pela Lusa.

A Cisco anunciou ainda que vai eliminar camadas intermédias de gestão para procurar agilizar o processo de decisão.

A empresa teve lucros de 10 mil milhões de dólares (7,5 mil milhões de euros), mais 24,2%, no seu ano fiscal de 2013, terminado a 27 de julho, e aumentou as receitas em 5,5% para 48.600 milhões de dólares (36,6 mil milhões de euros).