Os robôs e os sistemas de inteligência artificial vão resultar numa perda líquida de 5,1 milhões de empregos nos próximos cinco anos, de acordo com uma análise do Fórum Económico Mundial, que está a decorrer em Davos.

Os 15 países desenvolvidos mais afetados representam cerca de 65% da força total de trabalho no mundo.

O impacto das máquinas será maior nas áreas da saúde, energia e serviços financeiros, conclui o relatório “Futuro dos Empregos”, citado pela Reuters.

Mas nem tudo são más notícias: o mesmo relatório antecipa uma maior procura por trabalhadores qualificados, nomeadamente analistas de dados e representantes de vendas especializados.

A projeção do Fórum Económico Mundial prevê uma perda total de 7,1 milhões de postos de trabalho, compensada por um ganho de dois milhões de novos empregos.

No caso dos homens, a estimativa é a de que por cada emprego se percam três postos de trabalho, nos próximos três anos. Nas mulheres, o rácio é cinco empregos perdidos por cada emprego conseguido.

A Organização Internacional do Trabalho, que faz parte da Organização das Nações Unidas, prevê que o desemprego aumente para 11 milhões até 2020.