Mais de 490 mil desempregados não tinham já em agosto direito a qualquer prestação social de apoio para situações de desemprego.

De acordo com os dados divulgados pela Segurança Social, apenas 387.047 receberam prestações de desemprego, mais 3.034 pessoas do que em julho.

Contas feitas, e tomando nota do número total de desempregados contabilizado pelo Eurostat (878 mil), apenas 44% dos desempregados beneficiavam das prestações, fossem elas subsídio de desemprego, subsídio social de desemprego inicial, subsídio social de desemprego subsequente ou prolongamento do subsídio social de desemprego.

Estas prestações atingiram em agosto o valor médio de 481,94 euros, face aos 501,54 euros observados um ano antes.

O Porto é o distrito com o número de beneficiários com prestações de desemprego mais elevado, tendo sido em agosto atribuídos subsídios a 85.363 pessoas. Segue-se o distrito de Lisboa, com 78.856 desempregados a receber prestações de desemprego.