A taxa de desemprego da Grécia subiu para os 27,6% da população ativa em maio, face ao período homólogo, sendo os jovens o grupo etário mais afetado (64,9%), segundo dados hoje divulgados.

A agência de estatísticas grega anunciou hoje que mais de 171.000 pessoas perderam os seus postos de trabalho neste período, sendo que só no mês de maio foram 22.000 as pessoas que ficaram desempregadas.

Ao todo, são mais de 1,38 milhões os gregos que estão oficialmente registados como desempregados, ao passo que há 3,6 milhões de pessoas empregadas.

Face ao mês de abril de 2013, a taxa de desemprego aumentou 0,6%.

Em termos homólogos, a taxa de desemprego subiu dos 23,8% em maio de 2012 para os 27,6% no mesmo mês deste ano.

Numa distinção por género, os números indicam que as mulheres têm uma maior probabilidade de estarem desempregadas do que os homens: a taxa de desemprego feminina é de 31,6% e a masculina é de 24,6%.

A Grécia está em recessão desde 2008 e o desemprego tem estado continuamente a subir neste país, que está dependente de empréstimos internacionais e que aceitou medidas de austeridade em troca de ajuda financeira da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional.