O número de desempregados na Alemanha aumentou inesperadamente em maio, segundo dados corrigidos de variações sazonais hoje divulgados pela Agência Federal de emprego alemã.

Segundo os dados corrigidos de variações sazonais, em maio, para quando os analistas previam um novo recuo, o número de desempregados aumentou 24.000 em relação ao mês anterior e a taxa de desemprego manteve-se estável em 6,7%.

«A recuperação da primavera desacelerou em maio», comentou o presidente da agência, Frank-Jürgen Weise, num comunicado, defendendo que «esta subida é uma consequência do inverno leve» e que «globalmente o mercado de trabalho

continua em boa forma».



As temperaturas no inverno anormalmente brandas permitiram a determinados setores sazonais manter o fluxo contínuo de atividade durante os meses de inverno, beneficiando o mercado de trabalho.

Em abril, o desemprego tinha baixado significativamente mais que o esperado, adiantou o responsável.

Em contrapartida, em números não corrigidos de variações sazonais, seguidos no debate público na Alemanha, a taxa de desemprego foi de 6,6% em maio, menos 0,2 pontos percentuais que no mês anterior, informou ainda a Agência Federal de emprego alemã.

De uma forma geral, o mercado de trabalho alemão é muito sólido e o desemprego tem atingido os níveis mais baixos desde a Reunificação (1990), beneficiando a procura interna, que no primeiro trimestre foi o único motor do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB).