A OCDE registou uma taxa de desemprego de 7,2% em outubro, com 43,8 milhões de desempregados, menos seis milhões do que no pico de abril de 2010, mas mais 9,3 milhões do que em julho de 2008.

Segundo dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico, divulgados esta terça-feira, a taxa de desemprego manteve-se estável face a setembro, tanto no conjunto dos países da organização (7,2%), bem como na zona euro (11,5%).

Na zona euro, o desemprego em outubro caiu na Irlanda (0,2 pontos percentuais para 10,9%) e na Eslovénia (0,2 pontos percentuais para 8,8%), ao mesmo tempo que registou um acréscimo de 0,3 pontos percentuais em Itália, ao subir para 13,2%, tendo-se mantido estável nos restantes países.

Em relação à taxa de desemprego jovem da OCDE (pessoas com idades entre os 15 e 24 anos), esta desceu 0,4 pontos percentuais em outubro para se fixar em 14,7%, menos 2,6 pontos percentuais do que no pico de outubro de 2009.

A organização sublinha que a taxa de desemprego jovem se mantém «excecionalmente alta» em vários países da zona euro, como a Grécia (49,3% em agosto, que é o último dado disponível), Espanha (53,8%), Itália (43,3%), Portugal (33,3%) e Eslováquia (29,5%).

No Canadá, a taxa de desemprego caiu 0,3 pontos percentuais para 6,5%, o nível mais baixo desde novembro de 2008.

A taxa de desemprego em outubro desceu 0,1 pontos percentuais nos Estados Unidos (a terceira descida mensal consecutiva) para 5,8%, o nível mais baixo desde julho de 2008, e no Japão, para 3,5%.

Dados mais recentes indicam que em novembro a taxa de desemprego subiu 0,1 pontos percentuais para 6,6% no Canadá e manteve-se estável nos Estados Unidos.