Menos de metade dos jovens (38%) que em 2014 fizeram estágios financiados pelo IEFP estavam em 2015 a trabalhar, sem mais apoios do Estado, mas apenas 16% foram contratados pela empresa onde estagiaram, como foi esta quinta-feira divulgado pelo Governo.

De acordo com um relatório preliminar sobre as políticas ativas de emprego, "a empregabilidade real dos estágios 12 meses após a sua conclusão é de 38%", considerando apenas as situações em que não existem apoios subsequentes.

O documento, distribuído pelo Governo aos parceiros sociais no âmbito da reunião de concertação social que está a decorrer, refere que 27% dos ex-estagiários que estão empregados sem apoios subsequentes têm contrato sem termo, pertencendo aos quadros das entidades empregadoras.

Segundo a mesma síntese, a empregabilidade bruta dos jovens que fizeram estágios financiados sobe para 66% se forem tidos em conta os casos de contratados ao abrigo de outras medidas ativas de emprego.

O documento proveniente do gabinete do ministro do Trabalho, refere que os níveis de acumulação de medidas ativas de emprego são variáveis mas mais significativos relativamente à acumulação de estágios e de apoios à contratação.

Em 2014, do total de ex-estagiários, metade foi empregada com apoio à contratação.