Os deputados socialistas na comissão parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas vão solicitar a audição, com caráter de urgência, de entidades relacionadas com a prestação de serviço de transporte de passageiros, anunciou fonte do grupo parlamentar socialista.

É preciso nós percebermos a evolução que está a sofrer este setor e, para termos uma ideia correta, precisamos de ouvir um conjunto de entidades", explicou à Lusa o coordenador do grupo parlamentar do PS na comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, Luís Moreira Testa.

O requerimento dos deputados socialistas vai solicitar a audição, na comissão, de representante do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), da Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom), das câmaras municipais de Lisboa e do Porto, da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) e da Autoridade de Mobilidade e dos Transportes, acrescentou a nota do grupo parlamentar.

Segundo Luís Moreira Testa, a audição das diferentes entidades a propósito da prestação de serviço de transporte de passageiros, na sequência dos protestos dos taxistas contra a plataforma Uber, destina-se a "perceber a questão da legalidade, ou não, e se é uma revisão da legislação, ou não, e que medidas precisam de ser tomadas".

As decisões mais sensatas são sempre aquelas que são bem fundamentadas", salientou o deputado socialista.

As associações representativas dos taxistas promoveram hoje marchas de protesto em Lisboa, Porto e Faro contra a empresa de serviço de transporte privado Uber.

Em Lisboa, os taxistas partiram às 09:30 do Campus de Justiça, no Parque das Nações, em direção à Câmara de Lisboa e à Assembleia da República, onde foram recebidos pelos diferentes grupos parlamentares.

A iniciativa é o culminar de uma semana de luta das duas associações - ANTRAL e Federação Portuguesa do Táxi - para pressionar o Governo a suspender a atividade da Uber, serviço de transporte que permite chamar um carro descaracterizado com motorista privado através de uma plataforma informática, que existe em mais de 300 cidades de cerca de 60 países.