Os empréstimos concedidos pelos bancos a particulares com o destino habitação voltaram a cair em abril (3%) em termos homólogos, enquanto os com finalidade consumo avançaram no mesmo mês (5%), segundo dados hoje divulgados pelo Banco de Portugal (BdP), citados pela Lusa.

Os depósitos de particulares nos bancos residentes, por sua vez, aumentaram em abril, 323 milhões de euros, totalizando 139,6 mil milhões de euros no final do mês.

“Este aumento refletiu-se numa tva [taxa de variação anual] de 5,1% (5,3% em março), interrompendo a tendência de aceleração que se vinha a observar desde novembro de 2015”, destaca o BdP.

No entanto, acrescenta, desde junho de 2014 que os depósitos de particulares apresentam uma taxa de variação anual positiva.

O BdP divulgou também hoje que em abril, a taxa de juro média dos novos empréstimos concedidos a sociedades não financeiras foi de 3,26%, 16 pontos base, superior à do mês anterior.

A taxa de juro média das operações de montante superior a um milhão de euros apresentou um diferencial de -80 pontos base em relação à observada nas operações de montante inferior, refere.

Nas novas operações de crédito concedidas a particulares, as taxas de juro médias para as finalidades de habitação e consumo foram de 2,02% e 7,57%, respetivamente, correspondendo, em ambos os casos, a novos mínimos históricos.

O valor da taxa de juro média do crédito para outros fins foi de 4,76%.

De acordo com o BdP, os volumes de novas operações para as finalidades de habitação e consumo ascenderam a 397 milhões de euros e 300 milhões de euros, respetivamente.