O Novo Banco começa esta segunda-feira a negociar com os clientes soluções para as obrigações do Banco Espírito Santo. A campanha destina-se a quem subscreveu obrigações não subordinadas do BES aos balcões de retalho do banco.

Estatutos do Novo Banco já permitem venda faseada

Com estes depositantes, o banco estabelecia acordos de recompra por prazos por regra inferiores à maturidade dos títulos e por um montante pré-estabelecido, que incluía uma determinada remuneração face ao capital inicialmente investido.

Os clientes vão poder optar por depósitos a três e a dez anos, que garantem remuneração e são mobilizáveis ao fim de um ano. Poderão ainda optar por deixar o Novo Banco e ficar com o produto da venda dos títulos.

Segundo o Diário Económico, o cliente terá a liberdade de ficar com o produto da venda e não contratar esta solução composta por depósitos. Caso o montante resultante da venda seja igual ou superior ao acordado no passado para a recompra, esta campanha não se aplica, pagando o Novo Banco ao cliente o valor que o BES tinha assumido pagar.

O objetivo desta campanha é que os antigos clientes do BES recuperem a prazo o capital investido e, simultaneamente, tentar minimizar as saídas do Novo Banco.

O que é uma obrigação?

Uma obrigação é um valor mobiliário, representativo de dívida de uma empresa ou do Estado em relação a terceiros. Este título de dívida que pode ser de curto, médio ou longo prazo (maturidade do empréstimo) confere ao seu detentor (obrigacionista) o direito a receber da entidade emitente um prémio de emissão ou de reembolso, bem como eventualmente, juros nos termos estipulados na data da emissão do valor mobiliário em questão.