O Departamento Central de Investigação e Ação Penal vai criar uma ferramenta informática que permite uma comunicação automática e em tempo real de depósitos bancários que levantem suspeitas de lavagem de dinheiro, escreve o Diário de Notícias.

A ferramenta informática que terá ligação direta aos bancos e às seguradoras está prevista para 2016.

Atualmente, os depósitos sinalizados são apenas os superiores a cinco mil euros, mas em 2017 esse valor vai descer para mil euros, com a transposição de uma diretiva europeia.

Até aqui o que existia apenas era uma obrigação por parte de entidades financeiras ou não financeiras de avisar a PGR ou a Polícia Judiciária de algum tipo de operação que se revele

O objetivo é poupar tempo, através da  transmissão automatizada ao Ministério Público das comunicações de branqueamento.