A ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, garantiu esta sexta-feira no parlamento que vai haver uma «cláusula de salvaguarda» para «evitar que as pessoas percam rendimentos», devido à revisão dos suplementos e à tabela remuneratória única.

«Teremos uma cláusula de salvaguarda para o caso de haver alguma coisa que escape», afirmou Maria Luís Albuquerque, acrescentando que o objetivo é «evitar que as pessoas percam rendimentos», na sequência das várias alterações salariais que o Governo está a preparar para entrarem em vigor em 2015.

A ministra das Finanças destacou a «necessidade de conciliar os vários elementos que vão estar em alteração no próximo ano para permitir que as pessoas não percam rendimento», referindo-se essencialmente à revisão dos suplementos dos funcionários públicos e à tabela remuneratória única da administração pública.

Na conferência de imprensa de 30 de abril, em que o Governo apresentou o Documento de Estratégia Orçamental (DEO), Maria Luís Albuquerque tinha afirmado que não podia «assumir nenhum compromisso» nesta matéria.

«Se ninguém perde rendimento? Nós vamos mexer de facto em várias coisas ao mesmo tempo - suplementos, tabela remuneratória, progressões e promoções, desfazer os cortes - e isto vai exigir trabalho técnico aturado e pensar bem e discutir bem as soluções com os representantes dos trabalhadores para que não aconteça essa perda de rendimentos, mas não estou aqui a assumir nenhum compromisso, em particular que na matéria dos suplementos que não haja reduções», disse, na altura, a ministra das Finanças.