O "não" às propostas dos credores ganhou - e de forma muito expressiva -, mas mesmo assim o ministro das Finanças da Grécia apresentou a demissão. O editor de economia da TVI, Vasco Rosendo, considera que Yannis Varoufakis foi "vítima da sua própria postura" e entende que o seu sucessor dá maiores garantias de diálogo. 

"Varoufakis foi vítima da sua própria postura e linguagem pouco ortodoxa. Disse, nomeadamente através do Twitter, que os membros do Eurogrupo o odiavam, acusando os parceiros de estarem a fazer terrorismo com a Grécia"

Por causa disso, certamente os credores não iam querer voltar a sentar-se à mesa com o ministro grego, daí que a sua capacidade negocial estivesse "minada à partida", considerou ainda Vasco Rosendo.

Já o seu sucessor, que muito provavelmente será  Euclid Tsakalotos dá maiores "garantias" de "diálogo".

A vitória expressiva do “Oxi” terá surpreendido tudo e todos depois de, na última semana, todas as sondagens terem espelhado  um país dividido e apontado o empate técnico entre o “Sim” e o “Não” como o  resultado mais provável.