Na região de Gaspé, na província francófona de Quebec (Canadá) aceitam-se notas de 5,10 e 20 dólares canadianos cortadas ao meio, uma prática que começou no início do ano, segundo a BBC.

Ninguém sabe quem começou esta prática, mas as notas cortadas até já têm um nome: “demi”. E os comerciantes locais aceitam as notas por metade do valor nominal.

O Banco Central do Canadá afirma que, por estranho que pareça, esta prática não viola nenhuma lei do país. Mas a porta-voz da instituição, Josianne Ménard, esclarece que a prática não é aconselhável e que não é apropriado “mutilar as notas” que definiu como "símbolo e fonte de orgulho nacional".

E acrescenta que o Banco Central do Canadá pode recusar-se a reembolsar qualquer pessoa que queira uma cédula de substituição se "as notas tiverem sido alteradas ou danificadas de forma deliberada ou sistemática".