O processo das sanções a Portugal e Espanha dá mais um passo na quarta-feira, com um primeiro debate na reunião do Colégio de Comissários. No entanto, o suspense não vai acabar já.

“O Colégio de Comissários manterá um primeiro debate sobre a proposta remetida pela Comissão ao Conselho (da União Europeia) sobre Portugal e Espanha, mas sem que haja qualquer decisão”

A informação foi dada pelo porta-voz da Comissão Europeia, Margaritis Schinas, na habitual conferência de imprensa diária, em Bruxelas.

Por seu lado, a porta-voz para os Assuntos Económicos e Financeiros, Annika Breithardt, salientou que a decisão poderá não ser conjunta para Portugal e Espanha, porque a argumentação de Madrid chegou mais cedo e está já a ser analisada.

As alegações do Governo português chegaram à ‘Comissão Juncker’ na segunda-feira, numa carta assinada pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, a reiterar que penalizar Portugal seria injusto, porque o país está "no caminho certo para eliminar o défice excessivo", e teria "um impacto altamente negativo" no apoio do povo português ao projeto europeu. A resposta dá ainda a garantia de que existe uma almofada financeira no Orçamento deste ano para corrigir desvios, sem mais medidas de austeridade. 

Só no final do mês deverá ser conhecida uma decisão final sobre este processo cuja ameaça paira no ar desde maio.