O Presidente da República considerou hoje que os dados da execução orçamental dizem respeito ao anterior orçamento porque, embora contenham medidas adotadas pelo Governo socialista, o Orçamento do Estado para 2016 só começou a ser aplicado depois do período analisado.

Numa conferência de imprensa após um encontro com o homólogo polaco, Andrzej Duda, que está a realizar uma visita de trabalho a Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa foi questionado pelos jornalistas sobre os dados da Direção Geral do Orçamento (DGO) divulgados na terça-feira, que dão conta de um défice orçamental, em contas públicas de 823,9 milhões de euros até março, mais 107,9 milhões de euros do que o registado no primeiro trimestre do ano passado.

"Os dados conhecidos ontem [terça-feira] respeitam ao primeiro trimestre. Quer isso dizer que embora já compreendam medidas adotadas pelo Governo, são ainda dados de aplicação do orçamento do ano passado", explicou o Presidente da República.

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, "o Orçamento para 2016 só começou a ser aplicado depois disso, o que quer dizer que só os dados do próximo mês e dos próximos meses mostrarão de forma mais clara a evolução da execução orçamental".