O défice baixou mais de 2.700 milhões de euros entre janeiro e novembro, uma melhoria que se deve a uma redução inédita na despesa e a um aumento da receita.

Segundo a execução orçamental até novembro hoje divulgada pela DGO, o défice das administrações públicas, em contabilidade pública, ou seja, numa ótica de recebimentos e pagamentos efetuados, melhorou 2.765,5 milhões de euros (30,1%) face aos primeiros onze meses de 2013, altura em que o défice foi de 9.185,8 milhões.

Já em termos mensais, o défice das administrações públicas até novembro registou um aumento de quase 460,9 milhões face a outubro, passando de 5.959,1 milhões de euros para 6.420,3 milhões em novembro, um aumento de 7,7%.

Receita fiscal

A DGO divulga ainda que o Estado arrecadou mais de 33.500 milhões de euros em impostos até novembro, mais quase 2.000 milhões de euros do que o amealhado no mesmo período de 2013.

A receita fiscal líquida acumulada no Estado ascendeu a 33.551,7 milhões de euros, o que representa um crescimento de 6,2% face aos 31.585,2 milhões arrecadados no mesmo período de 2013.

Entre outubro, quando a receita fiscal líquida acumulada ascendeu a 30.282,2 milhões de euros, e novembro, o Estado amealhou 3.269,5 milhões de euros em impostos.

Este montante supera o objetivo de crescimento da receita fiscal previsto na segunda alteração ao Orçamento do Estado para 2014, afirma a direção liderada por Manuela Proença.