O acesso à base de dados de contas do Banco de Portugal através da Internet, disponível desde segunda-feira, vai permitir aos titulares detetarem contas bancárias que pensavam já encerradas, congratula-se a Deco.

«Desta forma, os consumidores poderão tomar conhecimento de contas que não sabem que estão ainda ativas e pelas quais os bancos lhes continuam a cobrar comissões», afirmou Nuno Rico, economista da Deco-Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, em declarações à Lusa.

Nuno Rico lembrou que o acesso online à base de dados de contas bancárias surge poucos meses depois de reivindicações feitas pela associação nesse sentido, em agosto de 2014, na sequência de um estudo realizado sobre a existência de contas inativas mas não formalmente encerradas, e que por isso podem sair caras aos consumidores.

Até agora, já podia ser requerida informação sobre todas as contas bancárias que estão no nome de um determinado titular, pela própria pessoa ou de um representante legal, nos balcões do Banco de Portugal ou através de carta, mas «era um instrumento pouco conhecido e de acesso mais difícil», notou o mesmo responsável.

Desde segunda-feira, o banco central passou a disponibilizar o acesso à base de dados de contas bancárias através da sua página na Internet e do Portal do Cliente Bancário.

Em causa está uma base de dados com informações sobre contas de depósito, de pagamentos, de crédito e de instrumentos financeiros e ainda dados sobre os respetivos titulares ou as pessoas (singulares ou coletivas) que têm autorização para as movimentar.