A associação de defesa do consumidor DECO estima que o aumento do preço do gás natural agrave a fatura anual da maioria das famílias entre 26 e 43 euros, face ao segundo semestre de 2012.

Em comunicado, a DECO adiantou que todos os consumidores, que estimou em 1,3 milhões, serão afetados pela subida de 2,4% no tarifário do gás natural, decidida pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), «mesmo os 612 mil clientes domésticos que já transitaram para o mercado liberalizado».

Esta afetação vai-se manifestar tanto por «repercussão direta do aumento das tarifas», como «porque os comercializadores do mercado liberalizado tenderão a nivelar os seus preços pelos que são praticados no mercado regulado», especificou a organização.