O secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes, falou hoje no Parlamento e revelou que o executivo de Passos Coelho considera lançar concursos públicos para que os hipódromos possam organizar apostas com cavalos de corrida. A notícia surgiu no durante o debate sobre o novo quadro legal proposto pelo executivo para o jogo online pelo.

O Governo propõe um «regime aberto, por licença, sem concessão de exclusivos» para os jogos online. Mesquita Nunes avançou que «prevê-se que seja possível conceder, através de concursos públicos, hipódromos onde se possam organizar apostas hípicas em Portugal».

O representante do Governo explicou que a regulamentação prevê os jogos de casino, «o póquer, os jogos de máquinas, o bingo, as apostas desportivas à cota e as apostas hípicas quando disponibilizados online, bem como as apostas de base territorial» e tem como objetivo «reduzir eficazmente práticas ilícitas do jogo».

O pacote proposto pelo executivo PSP/CDS-PP introduz ainda outras alterações, como a permissão para os casinos passarem a fazer publicidade.

Para a deputada do Bloco de Esquerda, Mariana Mortágua, o Governo está a usar a lei para promover hábitos de jogo. As «apostas em cavalos não existem em Portugal. O Governo quer regularizar a atividade ou quer promover novos hábitos de jogo", questionou e fez também menção à Fatura da Sorte. «Vamos diferenciar o que é regulamentar de promover o jogo», garantiu.