O Complemento Solidário para Idosos vai ser alargado a pensionistas que anteciparam as reformas a partir de 2014, ano em que foi introduzido um agravamento das regras pelo anterior Governo.

A proposta do Bloco de Esquerda foi aprovada na Assembleia da República com os votos a favor do PS e do PCP, o voto contra do PSD e a abstenção do CDS-PP.

O Parlamento dá, assim luz verde, ao acesso a este complemento dos reformados aos quais os deputados bloquistas chamam "lesados do Mota Soares", ministro da Segurança Social do Governo PSD/CDS-PP-

O BE lembra ainda que um reformado com 40 anos de descontos e 55 de idade sofreu um corte superior a 70%, 6% por cada ano de distância da idade legal de reforma, acrescido da aplicação de um fator de sustentabilidade superior a 12%.

No entanto, o parlamento rejeitou parte da proposta que pretendia alargar o acesso ao CSI também aos pensionistas que se reformaram antecipadamente antes de 2014. Nesse caso, a proposta teve os votos favoráveis do PCP e do BE, mas contra do PS e PSD e abstenção do CDS.

O ministro do Trabalho, Vieira da Silva, tinha admitido a 9 de novembro alargar aos pensionistas com pensões baixas e longas carreiras contributivas, que foram penalizados durante os anos da troika.