A Arábia Saudita e a Rússia assinaram um acordo de cooperação no mercado de petróleo, incluindo a possibilidade de limitar a produção, suportando uma subida dos preços do crude, com a expectativa de que os países poderão agir em conjunto para lidar com o excesso de oferta.

Na passada sexta-feira o ministro dos Negócios Estrangeiros da Arábia Saudita, Adel al-Jubeir, disse estar otimista sobre um futuro consenso dos produtores em torno da produção de crude.

"É um processo em evolução e veremos o que acontece na reunião na Argélia. Estou bastante otimista," disso o ministro citado pela Reuters.

O acordo foi assinado pelos ministros da Energia da Arábia Saudita e da Rússia, na China, no âmbito da cimeira G20, na sequência duma reunião entre o presidente russo, Vladimir Putin, e o príncipe saudita Mohammed bin Salman.

O ministro da Energia russo, Alexander Novak, disse que os dois países estão a dirigir-se a uma aliança estratégica na energia.

Ontem, o petróleo Brent continuava a negociar na casa dos 46 dólares por barril e o WIT pouco acima dos 44 dólares por barril. Mas hoje o preço do barril de Brent,  que serve de referência às importações portuguesas, sobe 1,2% para 47,4 dólares por barril e em Nova Iorque avança 1,5% para 45,1 dólares por barril.

Na sequência da baixa do preço da matéria-prima, abastecer o carro ficou mais barato esta semana em Portugal.