O governo da Croácia decidiu anular as dívidas dos cidadãos mais pobres, no valor total de cerca de 289 milhões de euros, para que estes possam simplesmente começar de novo.

Os créditos destes 60 mil croatas pertencem a bancos, operadoras de telecomunicações, os quatro maiores municípios croatas e ainda a várias empresas públicas.

Os «perdoados» são aqueles que auferem prestações sociais ou que o rendimento mensal per capita do agregado familiar não ultrapassa os 162 euros.

A Croácia está em recessão há seis anos. Dos mais de quatro milhões de cidadãos, cerca de 317 mil croatas tinham as contas penhoradas no ano passado.