O número de ordens de penhora emitidas pela Autoridade Tributária e Aduaneira ascendeu, nos sete primeiros meses deste ano, a 2,3 milhões. Este valor supera o total das notificações emitidas durante todo o ano passado.

Segundo dados cedidos ao «Público» pelo Ministério das Finanças, de janeiro a julho, foram emitidas 2.289.000 ordens de penhora, quando no conjunto de 2013 foram determinadas 2.070.315.

O ministério atribui o aumento ao combate à fraude e à economia paralela. O Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos diz que esta não é a única razão a impulsionar a cobrança coerciva, dizendo que «muita execução penhorável se deve ao fator crise.