O Produto Interno Bruto (PIB) italiano vai terminar 2014 com uma contração de 0,3%, mas espera-se que cresça 0,5% em 2015, segundo os dados publicados esta segunda-feira pelo Instituto de Estatística italiano (Istat), nota a Lusa.

O Istat confirmou num comunicado as previsões do Governo italiano de que o PIB se vai contrair 0,3% em 2014, mas que o país sairá da recessão em 2015 e inclusivamente vai atingir um crescimento de 1% em 2016.

No comunicado, o Istat também prevê que, depois de três anos de recuos, o consumo das famílias aumente 0,3% em 2014, em parte devido à redução da poupança (0,6% em 2015 e 0,8% em 2016)

No entanto, o Istat sublinha que a medida aprovada pelo Governo de Matteo Renzi de redução de impostos e de um aumento de 80 euros do salário dos italianos com menos rendimentos não terá consequências no consumo das famílias em 2015 e em 2016, devido ao aumento automático do IVA previsto para 2016.

Segundo o Istat, enquanto a taxa de desemprego se situará em 12,5% este ano, a «estabilização das condições do mercado laboral» em 2015 produzirão uma descida ligeira, para 12,4%.

Para 2016, o Istat prevê uma taxa de desemprego de 12,1%.

O Istat corrige assim as previsões para 2014 publicadas em maio, quando tinha previsto uma subida do PIB de 0,6% e uma taxa de desemprego de 12,7%.