O índice de confiança do ISEG, apurado para outubro, e relativo à evolução da atividade económica portuguesa no curto prazo subiu para de 33,9.

Segundo uma nota do Instituto “corresponde a um aumento do índice de confiança do painel na evolução da conjuntura face ao valor do índice apurado no mês de Setembro, que foi de 33,7” e “aumentou o consenso dos membros do painel relativamente à evolução económica.”

O índice de confiança do ISEG sobre a evolução a curto prazo da economia portuguesa, cujo valor pode variar entre 0 (confiança mínima) e 100 (confiança máxima) é atribuído por um painel de dezasseis professores da instituição com base em informação quantitativa e qualitativa previamente recolhida e que inclui os apuramentos de um inquérito realizado mensalmente a todos os docentes.

O valor do índice é obtido por média simples dos valores entre 0 e 100 atribuídos respetivamente por cada um dos membros do Painel.

Como indicador de consenso é utilizado o coeficiente de variação dos valores individuais.

No final de outubro, o ISEG tinha mantido a previsões de crescimento da economia portuguesa para 2017 entre 2,6% e 3%. Um crescimento que, no terceiro trimestre, estava baseado, sobretudo, na produção automóvel, turismo, compra de automóveis e reabilitação de casas. Na ocasião, o instituto admitia ainda rever em alta a sua previsão, após ser conhecido o Produto Interno Bruto do terceiro trimestre.