A contração da economia portuguesa em 2012 foi mais profunda do que o calculado anteriormente, tendo o Produto Interno Bruto real recuado 4% nesse ano, a recessão mais profunda alguma vez registada, revelou hoje o Instituto Nacional de Estatística.

O INE divulgou hoje as contas nacionais anuais finais relativas a 2012, as quais «correspondem a uma revisão em baixa do nível do PIB em cerca de 0,7%», indicando «uma crise económica mais acentuada que a refletida pelos resultados preliminares».

Assim, os resultados finais indicam que o valor do PIB foi de 168.398 milhões de euros em 2012, ou seja, uma queda de 4% em termos reais (considerando o efeito da inflação), depois de ter registado uma quebra de 1,8% em 2011. A estimativa preliminar do INE dava conta de uma contração do PIB real de 3,2%.

A instituição explica que os resultados finais de 2012 hoje conhecidos baseiam-se em «fontes de informação de caráter mais sólido, pormenorizado e completo que as versões anteriormente divulgadas».