O diretor-geral adjunto do Fundo Monetário Internacional (FMI), Zhu Min, manteve esta sexta-feira a previsão de crescimento para a China em 6,8% para 2015, apesar das recentes oscilações do mercado financeiro e da desvalorização do yuan.

Numa intervenção no Fórum Mundial de Dalian, que termina esta sexta-feira após dois dias de sessões, Zhu assegurou que o FMI mantém o valor de crescimento que publicou no seu relatório anual, em julho, sobre a segunda economia mundial e também a de 6,3% para 2016.

Zhu, ex-vice-governador do Banco Central chinês, considerou que “a volatilidade do mercado de valores tem muito pouco impacto na economia real da China”.