A agência de notação financeira Moody's diz que o setor bancário de Chipre pode precisar de uma ajuda extra de 1.500 milhões de euros.

Segundo a agência, a razão principal da necessidade destes fundos adicionais, além dos destinados pelo resgate aprovado pela troika, são os créditos «problemáticos» que aumentaram devido à crise.

Numa nota, a Moody¿s indica que a proporção de empréstimos com mora em finais de 2012 era de 26% do total, mas que prevê que esta suba para 35% no final deste ano.

Mesmo assim, a Moody's argumenta que a economia cipriota se vai contrair 12% este ano, uma contração acima da de 8,7% prevista pela União Europeia.

A troika (Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco Central Europeu) aprovou para um empréstimo de 10.000 milhões de euros ¿ equivalente a 60% do Produto Interno Bruto (PIB) cipriota ¿ para resgatar o setor financeiro, em troca de uma drástica reestruturação bancária e de medidas de austeridade.