A queda de atividade na indústria de bens de equipamento, categoria com maior peso nas exportações de mercadoria portuguesas, «começou a melhorar gradualmente, refletindo uma possível mudança na tendência», segundo um estudo da Crédito Y Caución citado pela Lusa.

O estudo refere que em Portugal «a indústria dos bens de equipamento tem vindo a apresentar sucessivas quedas na sua atividade desde meados de 2012, ajustando a sua estrutura ao ambiente de recessão do mercado nacional, bem como à dos mercados-alvo das suas exportações».

Desde fevereiro, «a intensidade das quedas começou a melhorar gradualmente, refletindo uma possível mudança na tendência, mesmo que pouco significativa, e através da qual se têm registado melhorias na evolução dos indicadores de investimento», refere a Crédito Y Caución.

As exportações têm reduzido o impacto do abrandamento da atividade no setor, «tendo em conta que a indústria de maquinaria é a categoria que tem maior peso nas exportações de mercadoria em Portugal».

No entanto, «continua a existir uma grande incerteza» sobre a tendência do setor no mercado português até final do ano.

«Todavia é possível que a evolução venha a ser mais positiva do que o inicialmente previsto», refere o estudo, adiantando que as perspectivas para a economia portuguesa «continuam a ser modestas, mas observa-se uma mudança de tendência nos indicadores-chave para o desenvolvimento do setor, tal como a confiança dos empresários portugueses».

De acordo com o estudo, «a produção do setor dos bens de equipamento vai sofrer uma contenção em todo o mercado europeu, em grande parte devido à evolução da industria automobilística e das energias renováveis».