O crédito malparado (de cobrança duvidosa) continua a aumentar em Espanha com níveis recorde do último meio século e uma taxa entre as empresas financeiras de crédito que atingiu em novembro os 13,08%.

Dados provisórios divulgados esta sexta-feira pelo Banco de Espanha (BE) referem que no seu conjunto o sistema financeiro espanhol tinha em carteira créditos de cobrança duvidosa (morosos, como são conhecidos em Espanha) de mais de 192.504 milhões de euros.

Um aumento mensal de mais de 1.500 milhões de euros num valor que, segundo o BE tem crescido devido ao desemprego e à crise económica.

No final de novembro do ano passado as entidades financeiras que operam em Espanha tinham concedidos 1,471 biliões de euros em créditos, ligeiramente acima dos 1,469 biliões de outubro.

Os valores de crédito malparado desceram apenas no final de 2012 e início deste ano pelos efeitos contabilísticos da transferência de ativos tóxicos para a Sociedade de Ativos da Reestruturação Bancária (SAREB), conhecida como «banco mau».

Uma vez corrigido esse efeito o nível de malparado tem mantido a tendência de crescimento com oito aumentos mensais consecutivos, superando constantes os valores mais altos desde que há registos.