O crédito malparado das famílias fixou-se em 4.995 milhões de euros em dezembro, o valor mais baixo desde o final de setembro de 2012 (4.991 milhões de euros), segundo dados do Banco de Portugal.

No segmento da habitação, o malparado ascendia a 2.480 milhões de euros (valor que compara com os 2.500 milhões de euros no mesmo mês de 2014), no consumo o montante foi de 1.144 milhões de euros (contra 1.297 milhões de euros em dezembro de 2014) e no crédito para outros fins situou-se nos 1.371 milhões de euros (1.549 milhões de euros em 2014).

No total, os bancos fecharam o exercício do ano passado com um total de 4.995 milhões de euros de créditos vencidos concedidos aos particulares, o montante mais baixo desde setembro de 2012.

Já o valor total dos empréstimos a particulares era de 119.224 milhões de euros em 2015, contra 123.685 milhões de euros em 2014, e o montante mais baixo desde abril de 2007 (118.696 milhões de euros).

No que toca ao crédito malparado das empresas junto da banca, o mesmo situou-se nos 12.601 milhões de euros no final de 2015, o valor mais baixo desde janeiro do mesmo ano. E representa um 'ligeiro' acréscimo, tendo em conta os 12.329 milhões de euros apurados em dezembro de 2014.

O montante total dos empréstimos dos bancos às empresas fixou-se em 81.591 milhões de euros no final do ano passado, valor que compara com os 85.929 milhões de euros em 2014.

Somando o total de crédito malparado dos particulares e das empresas, o valor atinge os 17.596 milhões de euros em 2015 (contra 17.675 milhões de euros em 2014).

Relativamente ao montante total de empréstimos da banca às famílias e às empresas, o ano passado fechou com 200.815 milhões de euros, face aos 209.614 milhões de euros em 2014.