Os empréstimos dos bancos a particulares para compra de casa continuaram a cair em julho: o recuo foi de 2,9% em comparação com o mesmo mês do ano passado, com taxas de juro médias de habitação e de consumo de 1,94% e 7,5%, respetivamente, segundo dados divulgados pelo Banco de Portugal. 

Também o crédito concedido a sociedades não financeiras para aquisição de imóveis baixou, mas ligeiramente menos (-2,2%), sendo que a taxa de juro média aplicada foi de 3,14%, mais 20 pontos base relativamente ao mês anterior.

Em junho, as taxas de variação anual destes empréstimos já haviam sido negativas em 3,0% e 2,5%.

Os depósitos de particulares nos bancos residentes, por sua vez, aumentaram em julho, 2.031 milhões de euros, totalizando 142,8 mil milhões de euros no final do mês. Nas aplicações até um ano, a taxa de juro média foi de 0,37% (0,40% em junho), um novo mínimo. 

Já no caso das empresas, a taxa de juro média nos novos depósitos até um ano fixou-se em 0,19% (0,18% em junho).