Os portugueses reembolsaram antecipadamente 2,6 mil milhões de euros referentes a crédito à habitação em 2015, valores bem acima dos registados em anos anteriores, segundo informação divulgada, nesta sexta-feira, pelo Banco de Portugal.

De acordo com o Boletim Económico de outubro, os pagamentos antecipados de empréstimos para a compra de casa foram mais significativos para os contratos celebrados entre 2011 e 2014, anos em que os bancos cobravam custos elevados para emprestar dinheiro.

No atual contexto de taxas de juro muito baixas, uma parte importante dos reembolsos antecipados poderá estar relacionada com o facto de algumas famílias endividadas desejarem aproveitar a oportunidade atual para amortizar dívidas cujos ‘spreads’ [margem de lucro do banco] são relativamente elevados”, lê-se no documento.

Para o Banco de Portugal, parte dos reembolsos antecipados dever-se-ão a transferências de créditos para outros bancos em que os clientes "poderão ter obtido condições de financiamento mais vantajosas", o que também demonstra um aumento da concorrência dos bancos no mercado de crédito à habitação.

Os 2,6 mil milhões de euros reembolsados antecipadamente em 2015 de empréstimos à habitação representavam cerca de 2,5% do saldo em dívida no final de 2014.