Os clientes com crédito à habitação indexado à Euribor a seis meses vão voltar a pagar menos pela prestação da casa em agosto, enquanto quem tenha contratos com Euribor a três meses deverá continuar a pagar o mesmo.

De acordo com os cálculos feitos para a agência Lusa pela Deco/Dinheiro&Direitos, um cliente com um empréstimo no valor de 150 mil euros a 30 anos, indexado à Euribor a seis meses com um "spread" (margem de lucro do banco) de 1%, vai passar a pagar 463,88 euros a partir de agosto.

Este valor representa menos 2,49 euros do que o que era pago desde a última revisão, em fevereiro.

Já no caso de um empréstimo nas mesmas condições, mas indexado à Euribor a três meses, esse cliente pagará 460,06 euros a partir do próximo mês, o mesmo valor da última revisão, em maio.

Desde o final de 2015, há quase dois anos, que as taxas Euribor negoceiam em valores negativos, com impacto favorável em quem tem prestações da casa indexadas às taxas de juro variáveis.

Nos últimos meses, a taxa a seis meses tem registado uma queda menos acentuada e a taxa a três meses está praticamente estável.

A média mensal da taxa Euribor a seis meses em julho foi de -0,273% em julho, ligeiramente abaixo dos -0,267% de junho, enquanto a três meses foi de -0,330, o mesmo valor de junho.

Em Portugal, a grande maioria dos contratos de crédito à habitação usam taxa de juro variável, sendo a Euribor a seis meses o indexante mais usado, seguido da taxa a três meses.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de mais de 50 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário. Em Portugal, a Caixa Geral de Depósitos faz parte deste painel.