Os contratos de crédito à habitação com Euribor a seis meses vão trazer uma pequena folga ao orçamento das famílias, em dezembro. Pela primeira vez a taxa negativa vai chegar a todos os contratos.

A média da Euribor a seis meses, em novembro, chegou a -0,011%. Uma média mensal negativa que será descontada no spread do empréstimo. Mas que será sentida apenas pelas famílias que tenham uma revisão do empréstimo no próximo mês.

Contas feitas, para um crédito à habitação de 100 mil euros a 30 anos, com um spread de 1%, vai pagar uma prestação de 321 euros. Em julho o mesmo contrato tinha uma mensalidade de 324 euros, ou seja, é uma poupança de três euros.

O mesmo efeito deverá beneficiar todas as famílias à medida que as taxas de juro dos empréstimos forem sendo revistas.

A expetativa dos economistas é que o indexante de seis meses negativo se mantenha nos próximos seis meses, pelo menos.

De acordo com os dados do Banco de Portugal, no final do ano passado havia 53% dos empréstimos para a compra de casa estavam indexados à Euribor a seis meses.

Se acrescentarmos os contratos com taxa a três meses, que já desde abril beneficiam de juros abaixo de zero, serão mais de 1,5 milhões os créditos a beneficiar da Euribor negativa.