Apenas 18 dos 262 comboios programados circularam até às 8:00 desta segunda-feira devido à greve dos revisores da CP, disse à agência Lusa uma fonte da empresa.

«Até às 8:00 de hoje circularam 18 comboios em 262 previstos. No Porto não circulam comboios e em Lisboa circularam nove em 112 previstos» disse à Lusa a porta-voz da CP - Comboios de Portugal, Ana Portela.


De acordo com a mesma fonte, circularam sete Alfa-Pendulares e Intercidades e apenas um do serviço regional.

Os revisores CP agendaram uma greve de quatro dias (02, 03, 05 e 06 de abril) para reclamar o cumprimento da decisão dos tribunais relativa ao pagamento dos complementos nos subsídios desde 1996.

A esta paralisação juntou-se a greve ao trabalho em dia feriado convocada pela Fectrans (Federação do Sindicato dos Transportes e Comunicações) na passada sexta-feira Santa e no domingo de Páscoa.

De acordo com a CP, as perturbações na circulação de comboios vão ser agravadas pela recusa da fixação de serviços mínimos pelo Tribunal Arbitral, nomeado pelo Conselho Económico e Social.

Na sequência das greves, a circulação ferroviária está a ser afetada desde quinta-feira, devendo os atrasos e supressões prolongar-se até terça-feira, 07 de abril, de manhã.

A greve dos trabalhadores da CP obrigou à paragem de 704 dos 785 comboios que deveriam ter circulado no domingo, ou seja, 90% do total.

As ligações regionais, sem comboios durante todo o dia, foram fortemente penalizadas, bem como os serviços urbanos de Lisboa e do Porto.

Na capital, circularam 40 dos 319 comboios previstos e no Porto apenas seis de um total de 152.

Nas viagens de longo curso, efetuaram-se sete ligações Alfa e 23 InterCidades, ou seja, metade dos 60 comboios programados.

Greve na CP encerra 95% das bilheteiras