O número de empresas insolventes em Portugal aumentou 7% no primeiro trimestre de 2015 face ao período homólogo, num total de 1.536 empresas insolventes, segundo números da Cosec hoje conhecidos.

De acordo com o relatório 'Cosec Insolvências 2015', nota a Lusa, hoje divulgado por aquela seguradora, entre janeiro e março deste ano, foram registadas 1.536 insolvências e 271 processos especiais de revitalização (PER), um aumento homólogo de 7% e de 3%, respetivamente.

Numa análise por setores económicos, a construção continua a ser a área com mais casos de insolvências, representando 23% do total, apesar de se ter registado uma queda de 4% face ao primeiro trimestre de 2014.

Já quanto à distribuição geográfica, os distritos que registaram mais insolvências foram o de Lisboa (24%), Porto (20%) e Braga (12%).

Considerando a dimensão das empresas insolventes, continua a registar-se uma "clara distinção entre as empresas classificadas como microempresa e as restantes", uma vez que 70% das insolvências acontece em microempresas.

Quanto aos processos especiais de revitalização, entre janeiro e março deste ano, 271 empresas pediram a entrada neste regime, um aumento de 3% face aos mesmos meses do ano passado.

Os setores da construção (86 empresas), dos serviços (55 empresas) e do retalho (31 empresas) são os que registam maior número de pedidos de acesso ao regime de processo especial de revitalização, e, numa análise por dimensão, 80% das que solicitam este regime são micro ou pequenas empresas.