A revisão anual do PSI20, o principal índice da bolsa portuguesa, traz novidades. A Euronext adianta, em comunicado, que há duas empresas que saem e outras três que entram.

Assim, a partir de 21 de março a Impresa e a Teixeira Duarte deixam de compor o índice e entram a Corticeira Amorim, o Montepio e a Sonae Capital. Se a primeira já entrou e saiu do PSI20 várias vezes, as outras duas são estreantes. 

Recentemente, a propósito da especulação à volta da saúde financeira do Montepio o presidente Tomás Correia considerou infundados os boatos e chegou mesmo a garantir que o banco mutualista está livre do perigo de colapsar: "O Montepio nunca foi, não é, nem será um Banif ou um BES".

O PSI20 tem este nome porque normalmente agrega as 20 maiores cotadas na bolsa, mas atualmente conta apenas com 17.

Com esta revisão, como saem duas e entram três, o PSI20 passará assim a ser composto por 18 empresas.

A Impresa e a Teixeira Duarte tinham sido 'promovidas' em fevereiro de 2014, juntamente com os CTT, que entretanto se mantém no principal índice da bolsa portuguesa. 

Com o colapso do Grupo Espírito Santo, o BES e o Espirito Santo Financial Group acabaram por sair no verão de 2014. Mais recentemente, foi a vez do Banif. Daí terem ficado apenas 17 empresas. Com esta revisão, soma-se então mais uma.