Os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa, que estão em greve parcial esta quarta-feira, convocaram uma nova paralisação de 24 horas para 25 de setembro, disse à Lusa Anabela Carvalheira, da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans).

As estações do Metro de Lisboa encontram-se esta quarta-feira fechadas devido à greve parcial dos trabalhadores, que obrigou à suspensão da circulação desde as 06h30, prevendo-se que a normalização da circulação a partir das 11h30.

A paralisação visa exigir, segundo Anabela Carvalheira, «respeito pelo acordo de empresa», além da «manutenção da empresa no setor empresarial do Estado», para que possa prestar «um serviço público de qualidade às populações, contrariamente à ideia do Governo e da administração de criar mais clivagens entre os trabalhadores».

Para Anabela Carvalheira, existem condições para o Metro prestar «um bom serviço público» e os trabalhadores querem que este seja mantido.

De acordo com informação divulgada no site da Fectrans, esta greve surge «numa altura em que o Governo vai fazer aprovar novos cortes dos salários, a partir do próximo mês», altura para a qual o secretário de Estado dos Transportes marcou o lançamento do concurso para a subconcessão da empresa.

De acordo com Anabela Carvalheira, todas as estações se encontram fechadas, o que revela >«um bom índice de adesão à greve».