Em causa está um contrato de gestão do estacionamento do segundo maior aeroporto do Reino Unido, que contabiliza cerca de 40.000 lugares, que se junta à gestão do aeroporto de Stansted e Edimburgo, de um total de 24 aeroportos em toda a Europa (Lisboa, Porto e Faro incluídos).

Em declarações à Lusa, o diretor geral da Empark Portugal, Paulo Nabais, explicou que este novo contrato é “muito importante”, e vem quase duplicar o tamanho das operações britânicas da Empark, tendo o número de espaços concessionados aumentado para mais de 80.000 lugares.

A Empark foi escolhida após “um processo de concurso internacional exaustivo”, que valorizou a necessidade de um serviço de qualidade para melhorar a experiência do passageiro, bem como a capacidade de se adaptar e expandir o serviço, acompanhando o crescimento do aeroporto.

O contrato tem a duração de cinco anos, podendo ser prolongado por mais dois em função do desempenho, isto é, se o nível de serviço prestado for ao encontro das expetativas.

"A nossa reputação de oferecer alta qualidade e serviços inovadores tem sido reconhecida e estamos ansiosos para continuar essa tradição, oferecendo serviços novos, melhores e inovadores em Gatwick", acrescentou.

A empresa portuguesa, líder em estacionamento na Península Ibérica, maioritariamente detida pelo Grupo A. Silva & Silva, entrou no mercado do Reino Unido em 2008, quando assumiu o controlo do estacionamento em Londres Stansted.