Maria Luís Albuquerque deverá receber cinco mil euros brutos por mês pelo trabalho na Arrow Global, uma gestora britânica que comprou ativos do Banif ao Estado português. A ex-ministra das Finanças não vai trabalhar a tempo inteiro e pretende acumular este trabalho com o cargo de deputada. A Comissão de Ética deve pronunciar-se na terça-feira sobre o caso.

São cerca de 70 mil euros anuais por um cargo de administradora não executiva, que implica entre dois a quatro dias de trabalho por mês.

São, de acordo com o Diário de Notícias, os valores que Maria Luís Albuquerque vai receber, caso venha a ser contratada pela Arrow Global, uma empresa britânica que se dedica à gestão de crédito malparado, uma espécie de cobrador de dívidas difíceis, que compra ou gere carteiras de créditos que os bancos dificilmente conseguem reclamar.

A empresa entrou no mercado português em 2007 e é já hoje líder do setor, onde possui uma carteira de quase seis mil milhões de euros.

Agora quer contratar uma das pessoas que mais informação e conhecimento tem sobre a banca nacional, justamente o setor que detém aquilo que a Arrow mais procura: o crédito malparado.

De acordo com o Expresso, a nomeação é comentada pelo presidente do conselho de administração da empresa, que destaca a grande experiência de Maria Luís Albuquerque em cargos públicos.

Agora cabe à subcomissão de ética pronunciar-se sobre as eventuais incompatibilidades entre as funções políticas presentes ou passadas de Maria Luís Albuquerque e o cargo que agora lhe é proposto como administradora não executiva.de uma empresa que teve recentemente negócios com o Estado para adquirir ativos do Banif.