Seis em cada dez consumidores preferem comprar produtos portugueses, sendo o azeite e o vinho as categorias mais procuradas, com mais de 93% a escolher a produção nacional, revela um estudo sobre hábitos de compra e portugalidade.

O inquérito, coordenado pela professora do Instituto Superior de Economia e Gestão, Helena Martins Gonçalves, vai ser apresentado esta quinta-feira no Fórum Portugal Sou Eu, onde será feito um balanço dos dois anos de aplicação deste programa que visa valorizar a oferta nacional.

O estudo indica que 59% dos consumidores «tenta comprar produtos portugueses sempre que existam», 28% preferem comprar portugueses «apenas para algum tipo de produtos» e apenas 13% dizem ser indiferente o país onde é feito o produto.

Em 13 das 17 categorias de produtos mais compradas, a escolha recai sobretudo na produção nacional, com destaque para o azeite e vinho (93,1% versus 0,9% de compras estrangeiras), pão, doçaria e pastelaria (91,3% vs. 1,5%), fruta e legumes (86,6% vs. 3%), peixe, carne e derivados (85,5% vs. 1,8%) e queijo (84,3% vs. 3,4%).

As compras estrangeiras predominam nos artigos eletrónicos, software e telemóveis (56,5% vs. 2,4%), eletrodomésticos (47,1% vs. 7,1%), higiene e cosmética (30,7% vs. 22,9%) e vestuário (28,4% vs. 24,5%).

Quanto à frequência de compra, 53,7% dos respondentes afirmaram adquirir produtos portugueses «muitas vezes», 26,8% «algumas vezes», 8,9% disseram não ter essa preocupação, 8,7% declararam comprar “sempre” e 1,9%, «raramente».

O estudo indica ainda que o vinho, o azeite, o peixe, o pastel de nata/Belém e o bacalhau são os produtos mais associados à «portugalidade».

O inquérito foi feito por via telefónica e eletrónica a pessoas de ambos os sexos, com 16 anos ou mais, residentes no território nacional, tendo sido validadas 1.301 respostas, das quais 52,5% de mulheres, sendo o erro da amostra de 2,7% para um intervalo de confiança de 95%.

O programa Portugal Sou Eu, uma parceria entre o Estado e as associações empresariais, foi lançado há dois anos «com o objetivo de valorizar a oferta nacional».

Conta atualmente com 2.547 produtos qualificados de 319 empresas aderentes, estando ainda outras 900 empresas inscritas a aguardar a qualificação dos seus produtos. No total, o programa representa já 1.856 milhões de euros em volume de negócios.

O Portugal Sou Eu, que resulta de uma parceria entre o Estado e as associações empresariais contou com um investimento de 3,9 milhões de euros entre 2013 e 2014, dos quais 85% financiados com fundos comunitários, estando neste momento em curso o prolongamento do programa.

O balanço vai ser feito hoje no Fórum Portugal Sou Eu que terá na sessão de encerramento o ministro da Economia, António Pires de Lima, o ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, e o secretário de Estado Adjunto e da Economia, Leonardo Mathias.